• Nina Brandt

Como você vai sair da quarentena?

Essa quarentena veio pra ensinar. Existe dor, existe perda, existe estresse, preocupação. Mas debaixo disso tudo, está ele: o aprendizado. Parece que o mundo parou. E numa certa perspectiva isso aconteceu, mas só porque nós achamos que somos o mundo ou que o mundo é nosso e que temos o controle de todas as coisas. Como a pandemia veio pra mostrar, não temos. E somos visitantes, na verdade somos aquele tipo de turista que tira fotos de coisas lindas mas deixa seu lixo por aí. Já passou da hora de tomarmos responsabilidade pelos nossos atos. E quando digo nós, é cada um de nós, não o governo, não a mídia, não as grandes empresas. Eu e você. Cada escolha que fazemos diariamente tem um impacto no mundo. Você se importa em saber se o produto que você comprou foi feito de forma ecologicamente consciente? Ou se existiu trabalho escravo no meio do processo? Ou se existe alguma forma de engenharia reversa naquele produto? Você realmente precisava comprar? Imagine que cada pessoa desse mundo faz uma escolha por dia. São 7.775.341.787 escolhas feitas diariamente no planeta. Agora pense: quantas escolhas você faz por dia? Quantas dessas escolhas são verdadeiramente boas pra você, pras pessoas e pro planeta? A conta te assustou? Pois é. Lembre-se: se não somos parte da solução, somos parte do problema. É duro, mas é real.


Em geral, os casos de pessoas que mais sofreram com o vírus estão altamente relacionados com o paciente ter um sistema imune deficiente, com uma falta crônica de cuidados com a saúde, com uma vida colocando a responsabilidade de ser saudável nas diversas modalidades profissionais – que deveriam ser apenas um valioso auxílio e fonte de conhecimento. Use esse momento, e todas as informações que temos conseguido, pra refletir, ao menos, sobre o papel da autoresponsabilidade no cuidado com a sua saúde. O bem mais valioso que temos se encontra destacado agora que outro vírus invadiu o planeta. É mais um professor – vários passaram, muitos estão, e outros virão. A mesma mensagem do universo para os terráqueos: cuidem das suas moradas: o planeta, e o próprio corpo. Assim que o mundo entender a lição, o professor sairá de cena.


O lado bom do momento é que foi criada uma oportunidade pra gente se encarar de frente. Desculpas como a falta de tempo ou não parar nunca em casa perderam o crédito (se é que um dia tiveram). Quando a matrix não está controlando o que você deve fazer, ter ou ser, onde está você? Onde investe o seu tempo? Por onde andam seus pensamentos quando eles tem a chance de voar livremente? Isso diz muito sobre nós. Não ter pra onde escapar nos obriga a interiorizar. Às vezes encontrar consigo mesmo é assustador, mas faz parte do processo. Aproveita o lado bom da quarentena e olha pra você. Pros seus sonhos, pras suas vontades verdadeiras. Tome esse tempo como um respiro de obedecer à sociedade esmagadora, de perder o fôlego na correria imposta, de sentir que não tem tempo. Temos tempo, sempre. Mas raramente a prioridade é o que realmente importa. E escolhemos também, sempre. Mas as escolhas raramente refletem as coisas realmente importantes pra nós. Tome coragem, mergulhe em si.

E aí, como você vai sair dessa quarentena?

81 visualizações2 comentários

Carolina Brandt Meister

  • Instagram

CREF: 019296 G/PR

ninabrandt22@gmail.com
(41) 991118822

Insira seus dados para receber as minhas publicações: